About Us

O Refúgio da Estrela é uma pequena casa de Alojamento Local, recentemente recuperada. Situa-se na aldeia de Aguincho, um lugar da freguesia de Alvoco da Serra, concelho de Seia. Esta aldeia está inserida no Parque Natural da Serra da Estrela, meio caminho entre Seia e Covilhã pela estrada N231 e a cerca de 30 min do topo da serra.

Tratando-se de uma herança familiar, cujo primeiro restauro data de 1932, carregada de memórias e afectos, as suas características originais foram cuidadosamente mantidas, aliando o rústico e a humildade do local, ao necessário conforto. Pela casa existem diversas peças decorativas originais da casa, tratadas e recuperadas que mostram ao visitante as tradições e costumes dos meados do séc. XX.

No piso superior existe uma cozinha rústica com lareira (original da casa), um quarto de casal com roupeiro e casa de banho completa (cabine de chuveiro); um quarto em open space com duas cama de corpo meio. No piso inferior (onde originalmente era a adega e a loja do porco) existe, agora, uma sala ampla com kitchenete equipada com o essencial, zona de refeições e zona de estar, com um sofá cama para 2 pessoas e salamandra. A casa é ideal para 4 pessoas, embora com a possibilidade de alojar mais uma ou duas. De referir que, devido às dimensões da casa e para evitarmos estragar a traça original, existe apenas a casa de banho do piso superior. No exterior existe um pequeno jardim relvado com barbecue e nas traseiras uma casa de forno onde estão expostas as ferramentas de carpintaria do antigo dono da casa.

Na aldeia existe um pequeno café (associação recreativa) e um viveiro de trutas onde se pode pescar e comer o pescado, assim como uma excelente ribeira de águas cristalinas, para bons mergulhos. Nos arredores existem várias opções de restaurantes. Trata-se de um local de calma e paz, com verde a perder de vista, ideal para recuperar forças e para dar longos passeios. É um meio essencialmente agrícola, onde os sucalcos de terra arável, foram prodigiosamente “roubados” pelos antepassados às encostas que rodeiam a aldeia. Trata-se de uma agricultura de subsistência, onde o balir das cabras que pastam nos campos se mistura com o chilrear dos pássaros e o correr das águas da Ribeira de Alvoco; onde o milho é moido no moinho de água comunitário, a aguardante é feita no alambique, também ele carregado de memórias, o vinho feito em dornas antigas. Nos arredores existem diversas atracções e locais de interesse a visitar. No inverno, comodamente instalados no vale de alvoco, rapidamente se deslocam até ao encanto branco da neve.