Perguntas do Dia‎ > ‎

Persistência do Canal Arterial (PCA)

postado em 9 de mai. de 2011 18:53 por Liga Acadêmica Cardiovascular   [ 9 de mai. de 2011 19:14 atualizado‎(s)‎ ]
Perguntas: Lucas Figueredo Cardoso
Respostas: Ignacio Adolfo Leutenegger

1.    Em relação à Persistência do Canal Arterial (PCA), como é caracterizado o exame físico do paciente (especialmente, a ausculta cardíaca)?
        
        O sopro mais característico é contínuo, descrito como sopro em maquinaria, melhor audível na borda esternal esquerda alta e na região infra-clavicular esquerda.
        Após desenvolvimento de hipertensão pulmonar e conseqüente shunt da direita para a esquerda, evidencia-se cianose e baqueteamento digital. Também pode haver taquicardia, precórdio hiperdinâmico e aumento da amplitude de pulso.

2.    Qual a idade ideal para realizar a correção do PCA e quais os principais fatores que interferem na indicação cirúrgica (tanto para adiantar quanto para postergá-la)?

        O fechamento funcional do canal arterial no recém-nascido a termo ocorre com 12 a 15 horas de vida, e o permanente, com 5 a 7 dias, alcançando, em alguns casos, até o 21° dia. No prematuro, o canal arterial permanece aberto por um período mais prolongado, e a frequência da persistência do canal arterial é proporcionalmente maior quanto mais imaturo for o recém-nascido. O canal arterial, mesmo sintomático, pode evoluir para fechamento espontâneo.
        Quanto maior o diâmetro do canal arterial, menor a chance do não fechamento. Com o não-fechamento, o canal arterial aumenta, de forma significativa, os diâmetros sistólico e diastólico do VE, o diâmetro do átrio esquerdo, do septo e parede interventricular, além do débito cardíaco aórtico – ou seja, ocorre dilatação das câmaras esquerdas do coração, provavelmente em decorrência de um hiperfluxo pulmonar e maior retorno venoso pulmonar para o átrio esquerdo.



        A indicação cirúrgica inclui insuficiência cardíaca de difícil controle no recém-nascido ou lactente, retardo no crescimento e sinais de grande shunt no lactente e patência mantida com qualquer grau de shunt após 6 meses de vida. 
        A idade recomendada para ligadura cirúrgica eletiva do canal é entre um e dois anos. A tendência é que a intervenção no prematuro seja mais precoce para evitar danos na vasculatura pulmonar.

3. Qual a técnica cirúrgica comumente utilizada para a correção do PCA? Descreva resumidamente. 

        O acesso é feito por toracotomia esquerda no terceiro ou quarto espaço intercostal. Os pulmões são afastados medialmente e a pleura posterior é incisada para permitir a dissecção e o isolamento do canal. O cuidado com o nervo laringeo recorrente é de fundamental importância para se evitar complicações pós-operatórias. Entre as técnicas, têm-se: a ligadura simples, em que três fios são usados para ocluir totalmente a luz do canal; a ligadura com dois fios e uma sutura transfixante; e a secção e sutura do canal. Ao final do procedimento, a cavidade pleural deve ser drenada. 



Fontes
  1. Afiune JY, Singer JM, Leone CR. Evolução ecocardiográfica de recém-nascidos com persistência do canal arterial. J Pediatr 2005; 81: 454-60. 
  2. Miyague NI. Persistência do canal arterial em recém-nascidos prematuros. J Pediatr. 2005; 81: 429-30.
  3. Colafranceschi AS. Persistência do Canal Arterial. Medscape Medcenter.
Comments