Perguntas do Dia‎ > ‎

Comunicação Inter-atrial (CIA)

postado em 7 de mai. de 2011 07:05 por Liga Acadêmica Cardiovascular   [ 7 de mai. de 2011 07:20 atualizado‎(s)‎ ]
Perguntas: Rafaela da Hora Sales
Respostas: Lucas Alexandre Vanderlei

1.    Explique a fisiopatologia da comunicação inter-atrial (CIA).

        CIA é uma cardiopatia congênita caracterizada por um defeito no processo de septação dos átrios, resultando em uma comunicação entre essas câmaras. Tais comunicações podem ocorrer no local do ostium secundum (OS), ostium primum (OP), seio venoso e seio coronário e, devido à diferença de pressão entre os dois átrios, ocorre um shunt esquerdo-direito, sendo assim uma cardiopatia acianogênica. A repercussão hemodinâmica dependerá da complacência das câmaras direitas e do tamanho do defeito, e quando o shunt for significativo, o resultado será uma dilatação do átrio direito e ventrículo direito e hiperfluxo pulmonar. Geralmente, é assintomática na infância, e os sintomas começam a manifestar-se por volta da terceira década de vida.

2.    Quais os achados no exame físico e na radiografia do torax?

        Ao exame físico, pode-se encontrar sopro sistólico de ejeção no foco pulmonar, ruflar diastólico no foco tricúspide - em caso de CIA grande - e desdobramento fixo da segunda bulha. A radiografia poderá mostrar dilatação das câmaras direitas, abaulamento da artéria pulmonar e rede vascular pulmonar aumentada.




3.    Quando é indicada a cirurgia e quais achados aumentam o risco do ato operatório?

        A cirurgia é indicada para pacientes:
  • Menores de um ano que sejam muito sintomáticos;
  • Entre um e dois anos com CIA (exceto do tipo OS), assintomáticos, com Qp/Qs (relação da magnitude do fluxo pulmonar)  > 1,5;
  • Entre dois e quatro anos com CIA OS, assintomáticos e com Qp/Qs > 1,5
  •  Ventrículo direito com dimensões aumentadas, acima de dois desvios padrão para idade/superfície corpórea.
        Alguns achados como deficiência da coagulação, hipertensão pulmonar grave e não responsiva, podem aumentar os riscos do ato cirúrgico e até contra indicá-lo.

4.    Quais as complicações pós-operatórias mais frequentes?

        As complicações pós-operatórias mais frequentes na cirurgia de correção de CIA são bloqueio cardíaco, arritmias, atelectasias e recidivas.
Comments