24 salão anapolino de arte



Foram selecionados para o 24 Salão Anapolino de arte, dois trabalhos na categoria vídeo.


Posse
É um ensaio em que são apropriadas e retrabalhadas fotos de um álbum de 1972, cuja autoria é desconhecida. Nem mesmo há referência quanto às pessoas retratadas, apenas as palavras 'Comando' e 'Posse', além da data '10-11-72', dividindo a capa com o brasão da República. Apesar do material ser mais de 40 anos atrás, época em que o Brasil esteve em plena ditadura militar, ele gera ressignificados perante o contexto político resultante das últimas eleições de 2018.
Nessa edição, a espiral da encadernação é revelada em muitos momentos, como uma metáfora de uma emenda ou costura frágil e quebradiça. As pompas comemorativas de uma posse militar são reforçadas pelas cenas de convidados com copos nas mãos, abraços e cumprimentos, além de distinções de classe social. Cinegrafista e fotógrafo aparecem acidentalmente no enquadramento, assim como outros 'erros' que são reiterados nesse trabalho.

2019
- Festival de C4nn35 - DDD Volt4 p4r4 los 4ños 20 - Galpão Terra - São Paulo - SP
- ExpoFAUD - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de SÃo Paulo - SP
- V Mostra de Projeções Fotoativa - O que será? - Belém - PA
- Abraço Coletivo / Ateliê 397 Curadoria: Paula Borghi. São Paulo - SP
- galeria Lamb art's/ Hermes artes visuais



c.q.d. (como se queria demonstrar)
Vídeo arte em que duplas (uma de ex-soldados e outra que não serviu ao exército) reproduzem os procedimentos de salvamento encontrados em guias de primeiros socorros das forças armadas do Brasil. Uma dupla não teve contato com outra, de forma que houvesse diferenças nos movimentos e nos meios de lidar com o corpo alheio.
Curiosamente, o que se previa que aconteceria com determinada dupla, na verdade a outra dupla foi a que trouxe as características presumidas. Assim, o trabalho levanta uma questão: do risco de acreditarmos naquilo que encontramos correspondência com o nosso imaginário.



C.Q.D. (Como se queria demonstrar), 2018
vídeo, 7'33" , P/B, s/ áudio/ e coturnos

idealização e direção:
Élcio Miazaki
atuação:
Alexandre Colasuonno Orlandi
Antonio J. Mattos
Jay Laurentiano
Rogério Baldini
câmera e finalização:
JP Accacio



Posse, 2019
vídeo, 1'52" , color, c/ áudio



(o júri de seleção, solicitou que o trabalho em vídeo C.Q.D. deveria estar acompanhado dos coturnos, seguindo a montagem exposta na Verbo - Galeria Vermelho)