offereço-te (2015/)




Desenhos tendo como ponto de partida, antigas fotografias com dedicatórias nos respectivos versos. Essas imagens originais instigam pelo fato de tornarem-se praticamente públicas uma vez que não foram passadas a sucessivas gerações, nem destruídas, circulando em feiras e comércio de antiguidades.
O projeto procura tocar em questões como: a permanência - ou não - de imagens produzidas ao longo da vida; o processo de retomar a privacidade das fotos que tinham essa intenção original. Mesmo públicos, os desenhos possuem o cuidado de manter o anonimato dos retratados.