de onde se avistam as chaminés e o céu (2015)

PROJETO EM ANDAMENTO (página em construção)


O projeto possui o desafio de ‘reativar’ as chaminés da Casa das Caldeiras (Barra Funda-SP) dentro do contexto atual, na difusão do patrimônio histórico com uma proposta de arte contemporânea, produzindo os ensaios fotográficos necessários para a produção de um vídeo com linguagem de animação. A transformação de uma das chaminés em câmara escura, proporcionará a realização de atividades como oficinas educativas. Uma vez impressas as fotos, serão estudadas interferências (por exemplo, raspagens ou aguadas de tintas sobrepostas) de forma a aproximá-las das cenas encontradas no filme de Gosho, estas com o horizonte bastante limpo.
Selecionado para o programa de residência artística da Casa das Caldeiras, o projeto recebe apoio na ocupação dos espaços e na execução da parte das instalações artísticas e organização de atividades educacionais junto a comunidades. Para a pesquisa, a Fundação Japão tem se prontificado no empréstimo da cópia em película do filme De onde se avistam as chaminés (veja as imagens do processo em andamento), além da exibição no período quando o projeto for concluído e exibido.

O filme em questão e em que o projeto tem como base, é um dos primeiros que mostra a vida comum da periferia de Tóquio no início dos anos 1950, no pós-guerra. O diretor de cinema Gosho aponta para o aspecto da relatividade da imagem, quando, conforme o ângulo, não temos a visão completa do complexo das chaminés. Enfim, torna-se necessário o conhecimento dos vários ângulos para chegarmos à compreensão do real na totalidade. E mais, cada ângulo possui a própria realidade, a sua versão. Tema recorrente e aplicável na área fotográfica.
2015
- residência artística Casa das Caldeiras - Obras em Construção. Comissão de seleção: Joel Borges e Karina Saccomano.