o último dia (2010/2013)



Seguindo a tendência do destino da maioria dos cinemas de ruas e galerias de São Paulo, após 35 anos de atividades, o Cine Gemini fechou suas portas no dia 26 de setembro de 2010, domingo. Fundado em 1975, o tradicional cinema de rua teve o seu fim anunciado. “É verdade que hoje é o último dia do cinema?”, perguntou um homem à caixa da bilheteria, que dava tickets de papel (o lugar não tinha sistema de cartão) para assistir à última sessão, das 21h40, com um filme chamado, ironicamente, de “Cabeça a prêmio”. ‘Isso não é uma honra’, disse o ator Marco Ricca, diretor do último filme exibido.

Localizado à Avenida Paulista, o lugar não costumava receber nem aos domingos, dia de cinema, público suficiente para preencher as duas salas gêmeas (daí seu nome, Gemini), com 328 lugares. Mesmo assim, nos últimos anos, com o avanço dos cinemas de shopping, dedicados a blockbusters, o Gemini se tornou uma espécie de refúgio para os apreciadores da sétima arte, que viam na casa um “símbolo de resistência” apesar de todos os seus defeitos, como a não atualização dos equipamentos de projeção.

No domingo havia quatro funcionários trabalhando no Gemini. Nenhum deles aceitou dar entrevista – apenas se soube que eles tinham sido avisados sobre o fim do cinema dias antes. Um faxineiro revelou torcer para alguém investir e salvar o local. A maioria das pessoas estava lá apenas porque se tratava do último dia. Algumas nunca tinham assistido a uma sessão ali e só foram na ocasião porque ouviram no rádio que o cinema iria fechar.

Às 19h50 foi exibido “Tudo pode dar certo”, de Woody Allen. Um nome de filme que seria muito mais sugestivo para encerrar as atividades do Gemini.
2013
16ª semana de fotografia de Ribeirão Preto - MARP




folder (clique para ampliar)



versão em láminas soltas
políptico
6 fotos (80x80cm)

2013