Política Internacional


Arquivo Cabedelo Notícia
"Não são os Povos do mundo que estão divididos em Castas, Tribos, ou Nações. São seus Líderes e Governantes que os dividem por interesses puramente Comerciais e para benefício de uma Elite de exploradores de mão de obra barata." 
(Mago William)
 

Manifestantes acampam até terça em praça de Roma

Grupo protesta contra os cortes nos gastos sociais do governo italiano.
'Reocupem a cidade'm estava escrito em faixa exibida no acampamento.

Grupo protesta contra os cortes nos gastos sociais do governo italiano (Foto: Tiziana Fabi/AFP) 

Um encontro está previsto para terça-feira entre o ministro da Infraestrutura e dos Transportes, Maurizio Lupi, e uma delegação de manifestantes com o objetivo de debater reivindicações.

"Vamos manter nossas barracas no lugar até o nosso encontro com Lupi, nesta terça-feira, quando organizaremos uma outra manifestação para fazer nossa voz ser ouvida", declarou Luca Fagiano, um representante dos organizadores da manifestação.

"Reocupem a cidade", estava escrito em uma faixa exibida no acampamento que bloqueia uma importante via de Roma.

"O acampamento não é um ponto de chegada, mas o início da revolta", indica uma frase no site dos organizadores da manifestação, a Coordenação Cidadã de Luta pela Habitação, que combate, entre outras coisas, o aumento do custo da moradia.

Dezenas de milhares de pessoas participaram de um protesto pacífico no sábado na capital italiana, com o objetivo de atrair a atenção para o custo social da crise econômica. Alguns manifestantes montaram barracas depois. Saiba mais...


Será difícil levar oposição síria a reunião pela paz, diz enviado da ONU

Grupos que se opõem ao regime de Bashar al-Assad exigem sua saída.
Dizem ainda que não como discutir paz enquanto ataques continuam.

Lakhdar Brahimi (à esquerda), enviado especial da ONU à síria, se reuniu neste domingo com Nabil Elaraby, secretário-geral da Liga Árabe. (Foto: Mohamed Abd El Ghany/Reuters)

O emissário internacional da Organização das Nações Unidas (ONU) para a Síria, Lakhdar Brahimi, disse neste domingo (20) que será difícil reunir a oposição ao regime do ditador Bashar al-Assad para participar da conferência internacional de paz de Genebra.

Brahimi, enviado especial também da Liga Árabe, reuniu-se neste domingo no Cairo, capital do Egito, com o secretário-geral da Liga Árabe, Nabil al-Arabi.

Após a reunião, Arabi afirmou que a conferência internacional de paz, chamada de Genebra-2, será realizada no dia 23 de novembro. "Houve acordo para a realização de Genebra-2 em novembro", afirmou Brahimi, mas, sem fixar uma data, disse apenas que "a data não foi fixada oficialmente".

 

 

 elevar teto da dívida

Governo federal estava parcialmente paralisado há duas semanas. Com a sanção, reabertura do setor público é garantida até 15 de janeiro e limite da dívida sobe até dia 7 de fevereiro de 2014

O presidente dos EUA, Barack Obama, sancionou a lei que eleva o teto da dívida pública americana e permite a reabertura dos setores da administração federal que estavam paralisados há 16 dias (Foto: efe/ Martin H. Simon /POOL)

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, sancionou nesta quinta-feira (17) a lei de orçamento que permite a reabertura da administração federal, paralisada há 16 dias, até 15 de janeiro de 2014 e eleva o teto da dívida  até 7 de fevereiro, evitando assim a  temida moratória. Com a sanção presidencial, encerra-se, ao menos momentaneamente,  a crise fiscal vivida pelo país nas últimas duas semanas. A dramática contagem regressiva para evitar a moratória dos Estados Unidos terminou a menos de duas horas do prazo limite estabelecido pelo Tesouro americano, à 0h desta quinta (17).

A lei sancionada por Obama é resultado do acordo firmado na quarta-feira (16) entre senadores e aprovado pela Câmara dos Representantes. Na tarde de quarta, os líderes de democratas e republicanos no Senado, Harry Reid e Mitch McConnell, anunciaram que haviam chegado a um acordo bipartidário para resolver o impasse e reabrir o governo federal.  A proposta foi aprovada pela grande maioria do Senado, com 81 votos a favor e 18 contra. "Este compromisso que alcançamos oferecerá à nossa economia a estabilidade necessária. O país esteve à beira do colapso. Mas, finalmente, os adversários políticos deixaram de lado suas diferenças e desacordos para evitar o desastre", afirmou o democrata Reid após a votação.

 
 
 
 
Comments